6.3.08

Espaços para afectos

Ilustração inédita sobre "Espaços para afectos".
---
Unpublished illustration about "Spaces for affection".
---
Ilustración inédita sobre "Espacios para afectos".

14 comments:

Leonor said...

Adorei, Richard. Mesmo sem saber o objectivo desta ilustração inédita e particular, enterneceu-me a lata de atum/sardinhas/whatever como espaço possível para os amantes, alheados ao espaço e ao tempo, como só os apaixonados conseguem. Parabéns por mais este voo artístico!

Erik said...

Stylish!

Ana said...

Experimenta uma variação de 69. É dessa forma que as sardinhas são colacadas na lata, para se encaixarem melhor no espaço. Original a ideia. Saudosismo implícito no recurso à bela lata. Beijos de Lisboa. Da Ana Paula Cabral

Maria E. said...

Very nice. I like the shadows and the greyness. The background is cool as well.

Anonymous said...

Ó Richard, «estas latas» não se abrem assim!
Aliás já não existe o modelo de abertura com a "chave" a enrolar a tampa - agora é pegar na algolinha e... sacar tudo num só golpe....

Está bem »esgalhado», como costumo dizer-te, se bem que a sugestão da «Ana» não seja de deitar fora.
Mas salvaguarda sempre que um seis (6) é um seis (6) e um nove (9) é um nove (9)! ! !
abrç
Jacinto

César said...

Querido Richard
Achei piada à ilustração.
Não me esqueci que tenho de te enviar os desenhos do Rodrigo (este gajo é um artista). Tem faltado tempo mas em breve trato disso. Prometo…
A Ana é uma marota :):):)!!!
(Lembras-te quando eu te disse que eras demasiado “politicamente correcto”?
Acho que a marota da Ana quis dizer-te isso também.)
Por falar nisso, acho que há para aí um site sobre o “anti-politicamente-correcto”.
Temos que lhes fazer uma visita…Acho que são ingleses.
Por falar em visitas, quando chegares à nossa terra não esqueças de ligar.
Um grande abraço.

César said...

Esqueci-me de te dizer o mais importante...
Afetos são o mais importante.

Richard Câmara said...

"Boys and Girls":

Obrigado por passarem pelo blog e deixarem os vossos comentários. Afinal esta "antiquada" lata de sardinhas desvendou muito mais que os amantes em conserva... é sinal que ainda estava tudo dentro do prazo de validade :)
Espero ver-vos a todos daqui a uns dias em Lisboa.

Abraços e beijinhos



Maria and Erik:

Thanks again for stopping by. After this, I wonder what I might find next time I open a can... :)

All the best!

LM,paris said...

Cher Richard,
j'ADORE!!!!
e os comentàrioss, todos justos e cheios de ternura pelo teu trabalho, por ti.Mereces.
Està um espanto, sou pela ideia da Ana...e essa chave, antiga que se enrolava à volta da lingua de ferro e com jeitinho era preciso forçar essa caixa onde o alimento (sereias?) era cheio, marinho e prateado, brilhante, esguio e saboroso. Desculpem se faz apelo metaforico sexual, mas c'est de riguer!César, os afectos, que bom ouvir essa palavra em português na cabeça, gosto, é percursiva??? ( percurssion..., pra voltar à chave, simbolicamente é mais interessante do que a argola ( anel?)...
que se puxa e abre sem jeitinho nenhum a caixa.Jà perdi sardinhas assim...até saltam espirrando azeite!A proxima vou abrir com jeitinho, se calhar elas dormem todas juntinhas, nao sonham mais... quando tinham cabeça, sonhavam com sardinhas no mar à solta.
Beijos,
lidia

miguel said...

Gostei muito muito deste teu trabalho...é de uma subtileza criativa que chega a comover...talvez por nos revermos "enlatados" nos meandros dos afectos hoje quase já só de "conserva"...um abraço do Miguel que te envia os sinceros parabéns pelo desenho...

Richard Câmara said...

Bonsoir Lídia!
Depois de ler o teu comentário, pensei: -"quem diria que poderia encontrar POESIA numa lata de sardinhas..."-
Merci :)

Miguel,
Parece que te estou a ouvir falar!! Ainda bem que gostaste :) De repente, fiquei com saudades das nossas conversas à mesa, acompanhadas de um gigantesco sushi e rematado com um daqueles míticos bolos de chocolate da Inês...
Um grande abraço aos dois e até daqui a uma semana em Lisboa ;)

Miguel Taborda said...

seria perfeito...

josé louro said...

Realmente o comentário da Ana é um achado.

maurobindo said...

Parabéns Richard!
Algo à primeira vista simples, mas carregado de simbologia.

Sempre achei engraçado a forma como os nossos amigos e/ou visitantes de blogues dissertam sobre algo que é feito, por vezes sem grande ideologia ou profundidade excessiva, mas que os mesmos tornam em algo de poético, como já foi dito, e maior.