5.5.12

Saudades das Ermidas do Sado

E pensar que tudo começou num Sábado de manhã como este, durante uma simples viagem de fim-de-semana ao Alentejo, com o Miguel ao volante e a Inês ao seu lado... Olhando para trás, fica este desenho com que comecei esta série no meu diário gráfico, sem saber o que me esperava. Fica o desenho e a saudade...
---
And to think it all started a Saturday morning like this, some weeks ago, with the three of us headed to Alentejo for the week-end... At the end, there´s only this drawing with which I began this series on my sketchbook, not knowing what to expect. A drawing and nostalgia...

3 comments:

Silvia Mota Lopes said...

Também deixas saudades!:)

Silvia Mota Lopes said...

Feliz dia da Mãe para a Cristina:)
Mãe
Sou a semente
Que lançaste à vida
Teus carinhos
Na terra me fizeram germinar
Nos teus beijos…mãe
Minhas lágrimas secaram
Nos teus braços me fizeste acreditar
Que não existe nada mais belo
Que uma mãe para amar
Mãe
Nas tuas palavras
Sinto a melodia dos meus sonhos
No teu meigo sorriso
Sinto amor de verdade
Quando partes
Os teus beijos
Têm sabor a saudade
Quando regressas
Sei que só me deixas por um instante
Mãe…de novo estou contigo!
Sílvia Mota Lopes

cláudia mestre said...

Pois é... o alentejo também me deixa saudades e para mim é magnético. Gosto dos desenhos. E Blé pronuncia-se Bléi :)